Redescobrindo seu estilo pessoal depois da maternidade

Antes de tudo quero que fique bem claro que você NÃO precisa se colocar nesse lugar de pressão de redescobrir seu estilo se achar que ainda não é a hora. Tá tudo bem se sentir perdida, com crise de identidade, sem saber o que gosta. Tudo bem não saber nem por onde começar, ou o que serve pra você, ou como quer ser - tem muita demanda aí, eu sei, e com certeza o estilo é uma que pode esperar. Se você acha que é hora de dar esse passo, então este texto é pra você!

A maternidade é rodeada de padrões e arquétipos, existe aquela ideia de que de repente você "parecerá uma mãe". Mas a verdade verdadeira é que mães são apenas mulheres que tem filhos. A gente tem gravado no nosso imaginário tudo que as mães não usam: sapato de salto, brincão, maquiagem forte, cabelo comprido, roupa curta. Mães usam camisas de botão, sutiãs feios, vestidos e calças legging, porque tudo que elas precisam é deixar sua vida de lado e ser um peito ambulante.

Só que cada mulher é um universo e esse universo se expande na velocidade da luz quando você se torna mãe. Conforto não é o objetivo de todo mundo, bem como disse a Cami Marder outro dia “Não tenho muito essa de ter o conforto como drive principal. a maternidade me fez sentir mais poderosa, investir mais na minha carreira (pois mais boletos chegando), me deixou mais feminina e corajosa pra usar varias coisas que antes eu tinha receio. Eu uso muito mais salto, tenho cabelão, uso brincão, tudo que achei que nunca mais ia usar.”

Nenhum jeito é melhor que outro, o melhor jeito é o SEU. E é por isso mesmo que não existem dicas prontas do tipo "redescubra seu estilo em 7 dias". É um processo, e quando a gente tem que acordar 3 vezes na madrugada, sofre com o corpo que ainda não voltou ao que era antes e talvez nunca voltará, vamos encarar isso. Sem falar do turbilhão emocional e da exaustão - é claro que a gente vai pensar em se cuidar ou se vestir é realmente um tempo precioso que será desperdiçado. Como nos vestimos está intimamente ligado a questões de autocuidado, confiança do corpo e nossos próprios sentimentos de valor próprio e isso está totalmente bagunçado nos primeiros meses - e quem sabe anos - da maternidade.

Não existem regras e conselhos genéricos porque "mãe” não é uma entidade. Cada uma de nós é uma mulher específica e mãe de um jeito, tem suas possibilidades e prioridades únicas e exclusivas.

Eu, por exemplo, amo me arrumar, mas vou levar Lorenzo na escola parecendo uma mendiga, quando a diretora me perguntou o que eu fazia, para colocar na ficha da escola a “atividade da mãe” e eu respondi consultora de estilo vi um grande ponto de interrogação no seu rosto. O dia que eu fui arrumada levar Lolo na escola todos os funcionários que cruzei perguntaram se eu tinha feito algo no cabelo, na tentativa de sinalizar que estavam vendo algo diferente em mim.

Então, como, você reconstrói um senso de estilo pessoal do zero e redescobre a alegria de se vestir bem novamente, especialmente quando você tem tempo e dinheiro limitados, além de vários requisitos práticos para o seu guarda-roupa? Abaixo estão algumas coisas que eu acredito serem úteis na busca de se sentir feliz com meu estilo pessoal de mãe de primeira viagem.

Conheça as demandas do seu guarda-roupa

Você pode começar escrevendo um pequeno texto sobre quem você é na prática. Por exemplo:

Lígia: Casada, 35 anos, mãe do Lorenzo (2 anos), vivendo uma adaptação escolar, comunicadora digital, ama moda e maquiagem, trabalha em casa meio período. Começou ir pra academia. Gostaria de se arrumar todo dia como se tivesse passeando de férias pela Europa mas a verdade é que não sai tanto de casa quanto gostaria e mora no centro de uma grande cidade onde existe muito contraste social.

Você precisa ser honesta consigo mesma sobre os requisitos práticos das roupas durante esta fase de sua vida. Mas também necessita entender o que quer sentir: você precisa que sua roupa seja confortável? Que te deixe feliz? Que te traiga leveza? Que tenha cara de arrumada? Que levante a sua autoestima? Que te dê forças?

Crie seu próprio armário-cápsula

Criar um armário cápsula te ajuda a saber exatamente quais peças combinam bem e é essencial para quem quer economizar tempo. Eu era do tipo que ria quando falavam de armário cápsula, jurava que nunca faria tal coisa porque amo roupa e suas histórias. Mas ter uma quantidade menor de roupas que eu realmente amo e sei como fazer o styling diminuiu o stress ao planejar um look.

Separe as peças para seu armário cápsula baseada no exercício anterior. Quais são as peças você já tem que suprem a sua demanda atual e o que você quer sentir? Quais são as que você ainda não tem e ajudariam a compor seu armário?


Encontre um novo Corte o cabelo

Essa é clássica, né? A maioria das mães que eu conheço não esperam o filho completar 6 meses pra realizar o sonho do curtinho. Encontrar um corte de cabelo que funcione para você e que seja fácil de manter é um verdadeiro divisor de águas para qualquer pessoa, especialmente uma nova mãe. Se você se sente bem com o seu cabelo, tudo bem. Mais uma vez, seja honesta com você mesma: eu adorava meu cabelão de quando Lorenzo nasceu, mas também estava super louca do puerpério, querendo mudanças e corei curtinho. Dois anos depois estou voltando ao long bob e amando.

IMG_2727.jpg
IMG_2726.jpg


Redescubra a alegria de se vestir

Assim que você souber o que quer que as roupas te proporcionem, vai ficar muito mais fácil se divertir com as roupas. A Chez Noelle criou um projeto muito legal chamado #lindapramim, que consiste em a gente não deixar pra depois o linda que a gente pode ser hoje. Não deixar o se sentir linda pra ocasiões especiais que podem nunca chegar. Esse é um suuuuper passo pra descobrir a alegria de se vestir. Se você vai ser linda pra você, não importa se você está em casa de pijama, que seja um pijama que te faça sentir maravilhosa. E não precisa ser caro, tem pijama lindo nas Pernambucanas. Seguir blogs e contas do Instagram de outras mães também é uma ótima fonte de inspiração e nos ajuda a visualizar como as roupas podem ser práticas e estilosas.

Estou amo ser mãe, sinto que preciso de mais leveza no meu maternar. E na minha vida, vai. Então estou suuuuper nesse processo de mudança de estilo, quero tudo mais fluído, mais leve, mais romântico. E nessa busca me dei conta que sempre amei muitos elementos mais femininos mas priorizava outras mensagens. E você? Me conta seja este texto te ajudou e deixa seu comentário contando a sua experiência.

Te vejo nas redes! Já me segue no insta? É @ligiabaleeiro