Jomo (joy of missing out) ou a alegria em ficar de fora

Produção de conteúdo a todo vapor, todo mundo querendo trabalhar com internet (ou seria: não tendo uma escolha sem consequência de não estar presente nela?), algoritmos que não ajudam. Independente de que lado você está, se da produção de conteúdo ou de consumidor de conteúdo, com certeza você já sentiu a ansiedade de não estar onde fulano está, ou não ter o que ciclano tem. Todos já estivemos nesse lugar.

Tenho visto no instagram um movimento de “limpeza”, só seguir quem faz bem pra gente, quem tem a mesma realidade, o mesmo corpo. Acho interessante mas tenho vários questionamentos. Então não somos adultos e deveríamos ser responsáveis pela nossa saúde mental? Então ninguém mais pode fazer o que a gente não pode fazer porque nos sentimos mal? Acho inteligente a gente seguir apenas quem acrescenta, mas que tenha a mesma realidade que eu? O interessante não é o mundo ser tão diverso e a gente furar a bolha? Não podemos estar tão vulneráveis e desencontrados de nós mesmos que as férias em Bali de uma blogueira nos gere tamanha ansiedade. A grande conexão precisa ser com a gente mesmo e não com o wifi mais próximo.

O texto a seguir foi escrito pela Belisa Martins em 2014 para o meu falecido blog La Vestuarista. 5 anos depois estamos vivenciando o desenrolar desta tendência.

-“Pra quem chegou de Marte agora…” Com certeza você já se deparou com esta frase na abertura de alguma matéria e não sabia do que se tratava o ocorrido – e tampouco estava em outro planeta. – “Mas como que,  com smartphone e acessando a cada cinco minutos a internet eu não fiquei sabendo?”

Se você já se sentiu assim, não se preocupe: todos nós já estivemos lá.

Embora hoje seja fato sabido de que é quase inviável acompanhar tudo com profundidade, nos últimos anos temos nos deparado com novas formas de ansiedade social. Uma delas, inclusive, pode ser conhecida como FOMO: Fear Of Missing Out (ou medo de ficar de fora, em português).

Provavelmente gerado pelo excesso de acesso, sofre de FOMO quem precisa verificar seus emails a cada minuto ou se sente totalmente desconfortável ao não ter acesso à internet. A sensação é de que se esta perdendo um acontecimento, algo muito importante, mesmo sabendo do que está recheada a grande rede.

Os não possuidores de smartphone com certeza já se sentiram preteridos em uma conversa enquanto os possíveis portadores de FOMO não conseguiam deixar de estar conectados.

Aliás, o fato de podermos estar sempre conectados nos levou a este fenômeno. Tentando incessantemente acompanhar o que se passa no mundo – e mais precisamente na internet – perdemos o que está acontecendo agora, do nosso lado.

Em resposta à isso, surgiu o JOMO: Joy Of Missing Out, que significa a alegria em ficar de fora. Nos conformando que tudo é apenas um fragmento da realidade, será sempre impossível saber de tudo o tempo todo. Que tudo bem ficar em casa sexta à noite ou que embora você tente, nunca vai conseguir acompanhar todos os novos memes do momento.

Porque não existe mal nenhum se talvez você estivesse pulando carnaval no domingo à noite e não viu que a Ellen DeGeneres pediu pizza na cerimônia do Oscar. Ou estivesse vendo na televisão o desfile da Sapucaí mas perdeu a Jennifer Lawrence caindo novamente e também não viu nada a respeito dos protestos na Venezuela.

E daí que você chegou de Marte agora? Lá também tinha internet, você só preferiu ficar offline.

o-que-é-jomo.jpg
jomo.jpg